24 abril 2016

As Histórias em Quadrinhos e os Professores Álvaro de Moya, Moacyr Cirne, Sonia Bibe Luyten, Luiz Cagnin, J. Marques de Melo e Waldomiro Vergueiro.

À medida que vou lendo o livro “Os Pioneiros no Estudo de Quadrinhos No Brasil” minha imaginação vai ficando tão livre, leve e solta que acaba por me fazer revisitar minha infância. Nela estou em um cantinho sossegado de minha antiga casa devorando com os olhos uma história em quadrinhos do Spirit. Toneladas de prazer emergindo do argumento e dos fantásticos desenhos de Will Esner. O mesmo valendo para os trabalhos de Flavio Colin, Cannif, Frank Robbins, Luiz Sá e tantos mais que eu lia avidamente. Fantástico. Piramidal. Constato só agora que fui um menino abençoado, contemplado com a grande fortuna de ter um pai esclarecido que, diferente de tantos, não se deixava levar pelas campanhas difamatórias movidas contra as histórias em quadrinhos por setores mais conservadores da sociedade incluindo-se, em extensa lista, políticos arrivistas, religiosos, professores, donas de casa e quantos enxergassem nos quadrinhos um caminho para a perversão em patamares elevados. Esclarecedor, o livro faz um registro de tais barbaridades culturais e serve também para alertar as pessoas de que nem tudo que se publica e se divulga através da mídia merece credibilidade. Jornais, revistas e TVs muita vez veiculam grandes mentiras como sendo expressões da mais autêntica verdade, o que de fato não são. No caso das HQs isso ficou indubitavelmente comprovado graças à atuação de pessoas com uma visão lúcida, despida de preconceitos destruidores, sintonizadas com o avanço do conhecimento. E grandes equívocos foram se desfazendo graças ao denodo dessas pessoas, entre eles notáveis professores. Eles lutaram para que os quadrinhos fossem sendo mais e melhor estudados, compreendidos e aceitos pela sociedade de maneira geral. A luta desses professores fez com que se fossem abrindo espaço nas áreas de produção e preservação do conhecimento, escolas, bibliotecas, universidades. Décadas depois do início dessa peleja contra ferrenhos opositores dos quadrinhos, o panorama tornou-se amplamente favorável para essa forma de expressão e incontáveis eventos vitoriosos aconteceram. Entre eles, a 1ª Jornada Internacional de Histórias em Quadrinhos, em 2011. Ela mostrou a contribuição daqueles que primeiro defenderam a histórias em quadrinhos no âmbito da universidade brasileira décadas atrás. Depoimentos importantes desses pioneiros foram prestados nessa Jornada Internacional. Os organizadores do evento, entendendo que a palavra falada é volátil, houveram por bem registrar tudo nesse livro. Nos créditos do livro ficamos sabendo que a organização de “Os Pioneiros no Estudo de Quadrinhos no Brasil” é dos professores universitários Waldomiro Vergueiro, Paulo Ramos e Nobu Chinen e que a edição é da Editora Criativo. Os depoimentos registrados para a posteridade são dos professores Álvaro de Moya, Antonio Luiz Cagnin, José Marques de Melo, Moacy Cirne, Sonia Bibe Luyten e Waldomiro Vergueiro. O visual gráfico é muito bonito, sendo que a direção de arte é de Yuri Botti. As ilustrações ficaram por cargo do notável Alexandre Jubran que se incubiu de retratar com fidelidade e maestria os autores dos valiosos depoimentos. A quem interessar possa, o adulto que hoje sou faz saber que não me transformei em um marginal, como reacionários opositores das HQs vaticinavam que sucederia às crianças e jovens que lessem quadrinhos. Na verdade, tornei-me um profissional da área e tento levar a adultos e crianças momentos tão sublimes quanto os que meus autores preferidos me proporcionaram em minha infância povoada por incontáveis personagens maravilhosos das HQs. A Moya, Cirne, Cagnin, Marques de Melo, Sonia Luyten, Vergueiro e outros aqui não nominados, a todos esses notáveis professores, meus mais sinceros agradecimentos.
(Publicado originalmente em 29/10/2015)

Um cara meio macho, meio não macho / Galeria cartuns


(Public. orig. 03/12/14)

21 abril 2016

Sketchbook 02 / homem com camisa vermelha

Neste desenho usei aquarela, a boa, a velha, a prazeirosa aquarela com direito a manchas e transparências que ela se nos permite empregar. Ah, e usei um bolígrafo, que é como nuestros hermanos argentinos - sempre habilidosos e virtuoses no ofício de desenhar - chamam o que nós chamamos de singela maneira de caneta esferográfica.
(Publicado originalmente em 17 de novembro de 2010)

17 abril 2016

Pelé, Elvis, Gilberto Gil, Nildão e muito humor

Designer gráfico, humorista e cartunista, Nildão já usou de toda sua rara criatividade e humor para nos mostrar aqui nesse bloguito que o cruzamento do popstar Michael Jackson com o maravilhoso cantor de ritmos nordestinos Jackson do Pandeiro, resulta num magnífico ser batizado de Michael Jackson do Pandeiro. Massa! Agora ele usa sua criativa cuca para nos mostrar qual o híbrido resultante de um cruzamento do rei do rock'n roll, Elvis, com o rei do futebol, Pelé. E ainda nos exibe umas graças para nos encantar e provocar frouxos de riso. Enjoy yourself, baby!
O link para o blog do Nildão é http://www.nildao.com.br
(Publicado originalmente em 23/09/15)

Lage, cartunista: memória perpetuada em livro de Otto Freitas e Washington de Souza Filho

Resultado de imagem para cartunista lage
Resultado de imagem para cartunista lage
Resultado de imagem para cartunista lage
“Lage era diferente, não vacilava, não se vendia, não se deslumbrava. Acima de tudo era um homem íntegro. Penso nele como um modelo profissional e de caráter. Penso nele como a possibilidade real de passar pela vida de forma decente, porque foi nisso que pautou sua existência”. Esse bem formulado, sincero e tocante depoimento é de Gonçalo Júnior, cultuado jornalista, escritor, roteirista de HQs e crítico de quadrinhos e está no livro Lage, de autoria de Otto Freitas e Washington de Souza Filho, obra integrante da Coleção Gente da Bahia, da Assembleia Legislativa, que teve seu lançamento no dia 22 de setembro de 2015. A esse precioso depoimento de Gonçalo somam-se outros, todos prestados por quem conheceu, conviveu ou trabalhou com Hélio Roberto Lage, ou simplesmente Lage, cartunista baiano para quem a definição de genial não soa como exagerada. Otto Freitas e Washington de Souza Filho,  jornalistas de larga experiência, pesquisaram com afinco e os depoimentos  que colheram foram fundamentais para  reconstituir o perfil de Hélio Roberto, um ser humano digno dos mais rasgados elogios, e também o retrato exato do mais irreverente cartunista da Bahia, dono de um estilo pessoal que continha o que há de melhor da propalada baianidade, sabendo como ninguém criar tipos populares calcados na realidade soteropolitana, exibindo sempre um humor inteligente, diferenciado, consciente, popular, comunicativo, insuperável. Através dele e de seu traço personalíssimo, Lage marcou de forma indelével sua brilhante atuação na grande imprensa e na chamada imprensa alternativa, em livros, revistas,TV e até mesmo através das ondas do rádio. Dentre os muitos livros que ilustrou, o Dicionário de Baianês, de autoria de Nivaldo Lariú, merece citação por ter se tornado um sucesso em todo o Brasil. Criativo, de raciocínio rápido e com uma aguçada visão do mundo, Lage foi um profissional atuante, combativo, que não temia arrostar os mais poderosos opressores, mas que ao fazer uma crítica, por mais contundente que ela fosse não deixava de nela colocar seu incomparável humor que provocava nos leitores um riso gostosamente escancarado.
(Publicado originalmente em 28/09/15)

Lage, livro de Otto Freitas e Washington de Souza Filho lançado na Assembleia Legislativa


Resultado de imagem para cartunista lage
Imperativo se faz tecer as devidas loas à Assembleia Legislativa do Estado da Bahia e a todos quantos couberem os méritos pela criação e manutenção da Coleção Gente da Bahia, uma providencial iniciativa literária que tem a elogiável missão de buscar perpetuar em livros a trajetória de vida de baianos mais que ilustres que não tiveram ao longo de sua existência a devido registro de seus atos e feitos. Por motivos variados as diversas mídias se dedicam a dar ampla cobertura a uma parte de pessoas que tiveram existências dignas de registro por terem tido papel importante no cenário baiano por suas marcantes atuações nas mais diversas áreas, política, esportes, cultura, medicina e tantas mais.  O que sobra em divulgação para uns por vezes falta para outros, resultando em que muitas figuras importantes no cenário da Bahia correm o risco de cair no esquecimento com o passar do tempo. Aí é que entram em cena os diversos livros da Coleção Gente da Bahia buscando registrar a vida marcante dessas pessoas, uma iniciativa louvável digna dos maiores elogios.  A linha editorial adotada baseia-se em pesquisas acuradas, depoimentos diversos e os livros são escritos em linguagem simples e direta, sem rebuscamentos desnecessários. As obras são bem diversificadas e através delas o público tem a oportunidade de se informar melhor sobre ricas figuras populares da Bahia, como a misteriosa Mulher de Roxo, os inspirados compositores Gordurinha e Riachão, o grande Mestre Pastinha, capoeirista hábil. Para nosso gáudio, Lage, o mais recente livro lançado pela Coleção Gente da Bahia, de autoria dos jornalistas Washington de Souza Filho e Otto Freitas, é sobre ninguém menos que o maravilhoso e inesquecível cartunista Lage que em vida a tantos encantou por ser a extraordinária figura humana que era e, sobretudo, por seu admirável trabalho de cartunista, caricaturista e desenhista em que prevaleciam um humor sem similar e um inigualável talento que juntos conscientizaram e fizeram rir tão gostosamente o povo da Bahia.
(Publicado originalmente em 28/09/15)

Nildão, cartunista e designer gráfico talentoso e inovador

Revisitar temas amplamente explorados por profusões de profissionais exige do artista que ele lance um olhar novo sobre o assunto abordado. Nildão tem de sobra essa virtude, quer quando faz cartuns, quer quando transita pelo designer gráfico criando cartazes, capas de discos, logomarcas e um mundo de coisas. Nildão é o cara! Seu notável o potencial criativo vai muito além da inquestionável sensação de ineditismo mesmo quando trata de conhecidas temáticas. Seu leque de qualidades é amplo e resulta em um trabalho de rara excelência que vem angariando uma cada vez maior legião de admiradores incondicionais. Essa criatividade de Nildão o leva a transitar com propriedade por imagens e palavras e o resultado produzido deve ser saboreado pelos leitores com o prazer com que se saboreia um vinho de qualidade ou a mais deliciosa das iguarias. Um humor da mais alta qualidade é presença constante em seus trabalhos, sendo por vezes sutil, exigindo um olhar mais atento ao que está sendo mostrado, ou sendo cortante como o fio da mais afiada das navalhas quando lança seu olhar atento sobre as questões políticas e sociais. Por vezes seus desenhos e criações gráficas chegam a parecer  despretensiosas brincadeiras com jeito bem moleque feitas para contemplar os leitores com as mais gostosas gargalhadas. Eclético, sempre diversificado, por vezes gosta de fazer deliciosos jogos de palavras, usa trocadilhos nada infames, e é mestre em lançar ao público questionamentos e provocações da forma mais criativa que se possa imaginar. Sem cair na perigosa armadilha do acomodamento e dos maneirismos em que tantos artistas naufragam, Nildão é um criador de múltiplos talentos sempre em sucessivo processo de renovação, reinventando-se constantemente dentro do seu labor artístico. Profícuo, desde o início dos oitentas Nildão vem lançando a cada ano um novo livro com suas criações e é maravilhoso poder comprovar seu expressivo salto de qualidade no terreno do grafismo, o domínio que ele adquiriu no trato das cores e da linguagem gráfica como um todo. As soluções gráficas que apresenta comprovam seu amplo conhecimento dessa linguagem, muitas vezes se percebe que por trás de uma aparente simplicidade existe uma sofisticação própria de quem domina o assunto, há um refinamento ainda maior do seu humor e das suas ideias.  A magnífica evolução de seu trabalho como designer gráfico e o atual estágio de alta qualidade que esse alcançou indubitavelmente coloca Nildão no patamar dos melhores artistas gráficos da atualidade no Brasil. Se você ainda não leu os livros dele nem visitou o site, aqui vai um link para você se deliciar com o site do artista: http://www.nildao.com.br
(Publicado originalmente em 22/09/15)

16 abril 2016

Paulo Zulu ainda mais belo na homenagem ao cartunista Lage

 
Do que se trata esta foto aê? À primeira vista você, atilado e sapiente leitor, certamente dirá: " Ora, esta é fácil! É o modelo Paulo Zulu e um monte de apolíneos modelos outros no Morumbi Fashion Week!" Muitos cairiam neste engano, por sinal assaz compreensível dado o elegante porte físico desta galera toda. Mas nada de Morumbi Fashion, trata-se de um encontro na Caixa Cultural louvando os 40 anos de carreira do cartunista Lage que Nildão e Alice, sua filha e braço direito, fizeram em póstuma homenagem ao nosso tão querido amigo, um cartunista fantástico. Agora, como dizem os ianques, o ru iz ru, ou seja, o "quem é quem". Na fileira dos que estão em pé, da esquerda para a direita, o cartunista e animador animadinho Caó Disney Alves, o desenhista Antonio Xaxado Cedraz, o escultor e caricaturista Valtério, esbanjando charme com sua camisa de viagem listrada. Bem atrás dele - no bom sentido e com o devidosíssimo respeito - Nivaldo Lariú, autor do Dicionário de Baianês, tão copiado Brasil afora . Completando a fila, o multimídia Nildão Lacerda e os queridos amigos jornalistas Washington Filho e Gutemberg Cruz. Agachados, ainda da esquerda para a direita, o cartunista Carlos Café, o artista plástico e mui desejado galã de TV Guache Marques e por fim, este Paulo Zulu melhorado que sou euzinho, vestindo jeans com uma elegância que nem o próprio Zulu consegue denotar na passarela em seus melhores momentos. E, como costuma afirmar a cantante Vanusa, recordar é viver, vai daí que publico esta notinha falando deste tocante e justo evento que aconteceu no mês de Agosto de 2011 ali na Caixa Cultural da rua Carlos Gomes, nesta Soterópolis, onde toda esta adonística tchurma esteve presente, como já disse, para homenagear o cartunista e queridíssimo amigo Lage, que se foi antes da hora e nos faz uma falta mais que imensa.
(Publicado originalmente em 04/04/14)

14 abril 2016

Sexo sem complexos, por Dr Príapo Durão, PHD

Como é você na hora do sexo? Com muitas taras, desvios, manias e inconfessáveis desejos? Calma, calma, calminha aê, não é preciso corar. Muito menos sair apressadamente para comprar um açoite e com ele vergastar, castigar sem pena seu corpo pretensamente pecador em dolorosas sessões de impiedoso autoflagelamento. Nem correr para a primeira igreja que aparecer e se agarrar em desesperado pranto à batina do cura de plantão. Ou marcar com urgência uma consulta com um psicanalista da moda. Em matéria de sexo você é normal, tão normal quanto as demais pessoas de toda parte do mundo como você poderá ver nas postagens seguintes.
(Publicado originalmente em 24/12/10)

07 abril 2016

Biratan, Brazil Cartoon, vídeo

Eu e Biratan Porto somos amigos há algumas décadas. Ele se inclui na lista dos amigos que eu mais curto, aqueles com que eu me identifico mais. Biratan é um grande talento do cartum mundial, e tem uma personalidade das mais carismáticas, um cara que prima por agregar em torno de si uma infinidade de amigos bem legais em áreas bem diversificadas. Quando estive em Belém do Pará para participar como jurado do VII Salão de Humor, Bira veio pessoalmente me recepcionar, coisa que muitíssimo me emocionou. Grande grande Biratan Porto. Acessando o  fundamental site do Brazil Cartoon eis que lá descobri postado um link para uma entrevista assaz supimpa feita pela Cultura Paidegua com o cartunista Biratan. A entrevista prima por deixar Biratan muito à vontade podendo falar de sua arte e de sua maneira de entender o mundo e as coisas que gravitam em torno de sua existência. De fato muito boa e bem abrangente. Além do mais, como você, amável e atilado leitor, gosta de coisas boas, ressalto que sempre vale a pena ver e ouvir o Bira, vai daí repasso aqui o link procê dar uma conferida na entrevista: http://www.youtube.com/watch?v=U3P3ZQDWC5k
(Publicado originalmente em 16/07/11)