01 abril 2015

Russ Cook e suas esplêndidas caricaturas



O que é bom pode ser visto um montão de vezes que sempre terá sabor de inédito, não é mesmo? E sendo assim e assim sendo vão aqui estas maravilhosas caricaturas do Russ Cook, que é um caricaturista lá do Reino Unido. É de babar as caricas dos invocados Bob Dylan e Samuel L. Jackson. Nos traços de Russ, Sophia Loren continua aquela italianona bela, piu bela que qualquer um gostaria de manjare. Em compensação o Serge Gainsbourg continua aquele cara malajambrado de sempre e dele sigo guardando, desde os anos 70 até os dias atuais, uma imensurável raiva não me importando o fato de ele já ter partido deste mundo. Sempre fui um cara de fina estampa, alto, espadaúdo, peito de remador, cabelos sedosos, físico de Adonis, lábios feitos para o prazer das mulheres mais lúbricas, por isso jamais  me conformei com o fato de ver que o Sergei, um cara feio de doer, fumante inveterado, que certamente devia ter um bafo terrível, passava o rodo geral nas maiores beldades de sua época, teve as mulheres que quis, conquistou e deixou gamadonas as atrizes mais famosas e alucinantemente belas do mundo do cinema e da música neste orbe, como La Bardot e a Jane Birkin, enquanto eu, belo e assaz formoso,  ficava por aqui no ora veja, o que comprova que Deus nem sempre é um cara justo.
Para ver os magníficos trabalhos de Russ, acessem o link www.russcook.co.uk  e divirtam-se.
                                           ( Public. origin. 07/11/13 )

Hilda Hilst, fescenina e deliciosa

Pensei em Hilda Hilst, grande e iluminada poeta, e me bateu vontade de ler algo bem fescenino dela. Achei esta poesia com sua marca inconfundível. Se você gosta da boa poesia, certamente gosta de Hilda. Na primeira foto ela com o magistral Zeca Baleiro, seu parceiro em belas composições. Na outra ela com aquela carinha singela de avó pacata e toda convencional. E qualquer um há de pensar como ela pode escrever versos tão iconoclastas com esta carinha meiga aê. Delicie-se agora com a poesia, entonces.
Araras versáteis
Araras versáteis. Prato de anêmonas.
O efebo passou entre as meninas trêfegas.
O rombudo bastão luzia na mornura das calças e do dia.
Ela abriu as coxas de esmalte, louça e umedecida laca
E vergastou a cona com minúsculo açoite.
O moço ajoelhou-se esfuçando-lhe os meios
E uma língua de agulha, de fogo, de molusco
Empapou-se de mel nos refolhos robustos.
Ela gritava um êxtase de gosmas e de lírios
Quando no instante alguém
Numa manobra ágil de jovem marinheiro
Arrancou do efebo as luzidias calças
Suspendeu-lhe o traseiro e aaaaaiiiii...
E gozaram os três entre os pios dos pássaros
Das araras versáteis e das meninas trêfegas.
               ( Public. origin. 28/11/13 )

Arnaldo Antunes pra chinês ver



Da Romênia, terra do genial cartunista Saul Steinberg, recebo convite via Net para participar de mostra de caricaturas e retratos de personalidades romenas. Dei uma olhada no acervo de caricaturas já existente e achei esta deste cara aê, o Vasile Pârvan, historiador e arqueologista desenhado pelo caricaturista chinês Wu Jianjun, que aliás faz muito sucesso em Quixeramobim. Olhei a foto do homenageado e achei que o sino-coleguinha fez mais foi uma caricatura do altamente criativo poeta, compositor, cantor e performático Arnaldo Antunes. Muito bem feita por sinal! O Arnaldo, com seu proverbial bom gosto, certamente curtirá muito, Wu. Pra quem quiser dar uma conferida, o site é http://www.personality.com.ro
                                     ( Public. origin. 12/02/14 )