29 agosto 2013

J. Jorge Amado e o esparro da Coca

Depois da Coca família, da Coca 2 litros e outros mais, o novo lançamento da Coca-Cola é o  litraço de quatro!
Este aí acima é  um exemplo de esparro, uma espécie de pegadinha verbal onde a tônica é o duplo sentido. João Jorge Amado pesquisou e coletou os mais engraçados esparros que circulam entre as gentes baianas e agora os publicou num livro que batizou de Lá ele! (o esparro na Bahia). O resultado é uma leitura assaz hilariante que o autor aborda um dos múltiplos aspectos da apaixonante cultura popular da Bahia sempre vária, rica, pitoresca,  criativa e apaixonante. Quem ler o livro de J.Jorge Amado vai se divertir muito e ainda por cima ficar sabendo o quanto é vasto o humor do povo baiano e de quebra vai se prevenir contra possíveis armadilhas verbais das gentes soteropolitanas. Tive a sorte e o privilégio de fazer as ilustrações do livro, o que fiz enquanto me divertia a valer lendo os engraçadíssimos esparros coletados e selecionados pelo escritor. Quem quiser encontrar o livro tem que tentar o site da Publit Soluções Editoriais: http://www.publit.com.br

10 agosto 2013

Neguinho do Samba e Michael Jackson, um encontro celestial

Sem o habitual séquito de paparicadores e seguranças, Michael Jackson chega ao Céu, onde tem reserva garantida pois se o papa é pop, São Pedro é hiperpop. Um coral de anjinhos de olhos gázeos, fulvas e cacheadas melenas, todos desnudos como nas pinturas renascentistas vem receber com cânticos o novo habitante do sacrossanto empíreo. Ao vê-los, Michael não contém sua emoção: "Uau! Isto aqui é mesmo o Paraíso!!" São Pedro o recebe com igual entusiasmo mas não deixa barato a presença do popstar e encomenda logo de cara uma apresentação à altura do muso para louvar o Pai Celestial. Para tanto, convocam os percussionistas que já habitam por ali, na celeste morada. Ensaiam exaustivamente. Mas Michael sente que falta algo mais, um swing maior pra fazer o Paraíso vibrar com alegria no mais apoteótica dos shows. O criador do moonwalker procura São Pedro e diz que necessita de alguém para dar à festividade a alma que lhe falta. Pedrão se inteira do que Michael precisa. Cofia a barba hirsuta, medita e finalmente berra para um querubim que por ali vai passando: "Manakel, meu fio... vai voando na Bahia, passa no Olodum e me traz o Neguinho do Samba!"