29 novembro 2014

Riachão é o Samba da Bahia e a própria Bahia.

Quem quiser saber tudo de samba e de Bahia tem de beber no sagrado manancial chamado Riachão. Sofregamente. Caetano bebeu generosos goles. Gilberto Gil bebeu a se fartar. Cassia Eller, maravilhosamente idem, idem. Riachão é a Bahia em forma de gente subindo a ladeira do Pelô ao encontro da roda de samba com seu terno branco, seu boné, seus óculos, anéis, correntes, toalha no pescoço, ginga, alegria contagiante, dentes escancarados num largo sorriso só encontrável em soteropolitanos tipos. Riachão, em verdade, é o próprio Samba da Bahia, com RG e tudo. Puro e da melhor qualidade, sim, o Samba baiano é esse maravilhoso Riachão, nos seus mais de 95 anos, louvado seja Nosso Senhor do Bonfim! De Riachão transborda a mais carismática baianidade, seu talento de sambista nato é líquido e certo, oferecendo-se generosamente para que nele sorvamos os necessários e substanciais haustos. Com as graças de Oxalá. Epa Babá! Viva Riachão!