18 fevereiro 2017

Aprenda o maravilhoso idioma do Futebol.

O mundo do futebol utiliza em sua comunicação um palavreado próprio que os não iniciados soem desconhecer completamente. Na passada Copa de 2014, de triste memória para nosotros, o futebol da Alemanha nos ensinou uma dura lição através da impiedosa e vexatória goleada de 7x1 que os germânicos nos impingiram dentro de nossa própria casa, de nossos próprios domínios, se é que a gente ainda domina alguma coisa atualmente. Mas quem disse que aprendemos a lição e nos tornamos mais humildes, mais realistas? Quem disse que perdemos a pose de nos autointitularmos "os insuperáveis reis do futebol mundial"? É claro que sabemos bem que nosso futebol não é o que já foi, de sobra, um dia. Que não somos mais sequer uma sombra do que foi aquela geração maravilhosa que encantou o planeta com Pelé e Garrincha, mas fingimos que somos, repetimos despudoradamente que somos, mesmo sabendo que não somos. Tudo isso porque, malgrado a humilhação que agora teremos que carregar em nossas costas vida afora, o amor pelo esporte mais popular nesse orbe azulzinho insiste em seguir vivendo em nossos corações, e nesse país tropical abençoá por Dê e roubá por um mon de fi da pu, não é justo que nenhum vivente follado y mal pago fique por fora de assunto tão relevante quanto o idioma falado nos bastidores desse esporte que foi um dia importado da terra de Bill Shakespeare e que aqui se tornou tão brasileiro. Sendo assim e assim sendo foi que a quase dinâmica e atuante equipe esportiva que atua neste bloguito, resolveu criar um providencial Dicionário de Futebolês para deixar você por dentro de um Maracanã de palavras e expressões futebolísticas contidas no jargão corrente do dito esporte brutão, quer dizer, esporte bretão.

                                         1. Cruzamentos
 Quando estão afinzonas de um jogador, as assaz determinadas Marias-Chuteiras costumam usar e abusar dos cruzamentos para que seu alvo - e não estou falando de tom de pele - perceba que está sendo convidado para adentrar o gramado lá delas, que por sinal está sempre em excelentes condições para a prática de um match de muito mais que 90 minutos, com direito a intermináveis prorrogações.

2.Invadindo a pequena área
 Em tempos pretéritos que longe vão, as donzelas militantes e juramentadas, mesmo subindo pelas paredes e morrendo de vontade de dar, por questões da moral vigente não podiam deixar que a rapaziada do Bráz - ou de qualquer parte -  invadisse suas grandes áreas. Suas pequenas áreas, então, nem pensar. Hoje, com a revolução sexual, está valendo tudo e se o jogador não vai à linha de fundo da parceira um monte de vezes fica mal falado porque atualmente no campo do sexo está valendo tudo e mais um pouco.



 3. Gol de bico
  Recurso muito utilizado no futebol feminino, embora aparente ser um tanto dolorido.

4. Impedimento
  Em certos dias do mês a namorada do jogador costuma exibir um cartão vermelho-sangue para ele, uma coisa verdadeiramente menstruosa, digo, monstruosa. Assim, impedido de penetrar a zona do agrião da sua amada e desejada, o craque sai de campo de cabeças baixas.

                    5.Entrando com bola e tudo
Maria-Chuteira que se preza adora quando o craque malhadão mostra seu gingado e parte com tudo pra cima dela com toda sua maledurência, indo fundo e adentrando a meta com bolas e tudo. Aí é aquele delírio, galera!

6. Elemento surpresa vindo de trás
Nunca é demais dizer que o elemento surpresa é decisivo e muitas vezes é preciso uma virada de jogo para satisfazer as gatinhas que estão cada dia mais fogosas, mais exigentes e mais sem barreiras. 

7. Triangulação
 Tem mulher de jogador que acha que um pouco, dois é bom e três é bom pra ca-ra-lho!! Toda véspera de jogo o marido boleiro vai para a concentração por ordem do técnico linha-dura do time e lá fica com um monte de barbudos, deixando em casa a excelentíssima. E bote excelentíssima nisto! Já ela, sempre fogosa e insaciável, aproveita para se concentrar em sua alcova com o sempre prestativo Ricardão que chega cheio de amor pra dar,  faz um rápido aquecimento secando rapidinho todo o scotch do ausente marido atleta, e depois de  mostrar seu invejável alongamento que sempre deixa a moçoila babando, vai adentrando no maior pique o gramado da ansiosa beldade e dando aquele show de bolas para o êxtase da gata.

8. Tabelinha
 Jogadores de futebol juram o tempo todo que tem o maior respeito e amor pela camisa do seu time. Já pela famosa e popular camisinha costumam deixar claro que não sentem o mínimo respeito nem amor algum, demonstrando total desprezo pelos preservativos. De sua parte a Maria-Chuteira diz que não usa pílula porque não se dá bem com químicas e prefere usar o método da tabelinha, mais natural e saudável. Aí, num retumbante dia a tabelinha falha e a sarada barriguinha da moça, moldada em academias, começa a crescer, crescer. O resto é aquela velha história: depois de nove meses um advogado com a cara do Sérgio Mallandro - Ié Ié! - aparece na porta da luxuosa-porém-kitsch mansão do jogador com um risinho irônico nos lábios, exibindo um teste de DNA numa das  mãos e trazendo na outra uma ordem judicial  mostrando que o boleiro vai ter, pelo resto de sua vida, de morrer todo mês com uma milionária pensão à Maria-Chuteira.
(130514)