02 agosto 2011

Parlim, João Gilberto, Ivete Sangalo, Velho Chico


Juazeiro, cidade baiana situada à beira do abençoado Rio São Francisco. Do outro lado do rio fica a pernambucana Petrolina que, em dia pretérito, sequer percebeu a flecha preta lançada pelo ciúme que atingiu em cheio o peito do filho de Dona Canô. Juazeiro - que não é a do Norte, aquela que fica no Ceará -   é terra natal de ninguém menos que João Bossanova Gilberto e de Ivete Sangalo, de Luís Galvão, inspiradíssimo vate dos Novos Baianos, e dos craques Luís Pereira e Nunes. Mas é, sobretudo, terra de um grande cara chamado Parlim, um criativo, simpático e profícuo desenhista, quadrinhista, artista gráfico, professor respeitado e de quebra um produtor cultural. No tempo que morei em Juazeiro frequentava o estúdio dele e ficava encantado ao ver seu amor à arte transformar-se em concorridas apresentações de mamulengos, títeres, bonifrates, mané-gostoso, franca-tripas, fantoches ou que nome mais tenham, oficinas de desenho para guris, em bloco infantil de carnaval, em álbuns de quadrinhos que versam sobre fatos e crendices da região são-franciscana, e da própria história local que envolve sua cidade, como o seu "A guerra de Canudos em Quadrinhos". Parlim é retadim. Um grande cara, um caráter maravilhoso, um sertanejo sem máculas, um coração enorme, uma alma de criança cheia de amor pelas artes, pelos amigos e por Juazeiro, sua querência. Desde que retornei a Salvador nunca mais voltei à Juazeiro.  Mas não é por falta de saudades, que estas são muitas. Saudades do Velho Chico, de suas águas, suas ilhas, de caminhar com a namorada pela orla da cidade sentindo a aragem vinda do rio, de beber uma cerveja nos barzinhos à beira do São Francisco,  jogando conversa fora, de comer surubim e carne de bode com pirão, de passear na vizinha Petrolina, de alguns ótimos amigos juazeirenses que lá fiz. Entre eles, Parlim, um artista dos bão, um autêntico João Gilberto das artes gráficas.******************  http://parlim.blogspot.com/