24 abril 2011

Gonzalo Cárcamo, caricaturista: um chileno na Terra do Axé

Por uma dessas inefáveis magias que a Bahia encerra, um dia o cidadão Gonzalo Ivar Cárcamo Luna veio de São Paulo habitar esta terra de Vadinho e Dona Flor. Por aqui se encantou com céus, mares, gentes e se regalou com moquecas, acarajés, xinxins e os quindins de iaiá. Conheci-o casualmente em uma galeria de arte e nos tornamos amigos fraternos. Lado a lado caricaturamos mais da metade do povo soteropolitano. Bem mais que um artista estupendo, Cárcamo é um ser humano exemplar, um cara do bem, extremamente ético e culto. E um amigo leal, bem-humorado, compreensivo e generoso. Mas só São Paulo tem o mercado à altura para um trabalho de excelência como o dele. Era inevitável que ele voltasse a Sampa onde hoje tem atelier e estúdio, um sólido mercado garantido para si, desfruta de merecido prestígio e garantiu um justíssimo lugar no panteão dos artistas maiores. Em contrapartida, quando descerra as cortinas da imensa janela de sua luxuosa cobertura no Alto do Morumbi, tudo o que vê são toneladas de garoa. Ao passo que eu, quando abro a tosca janela do meu puxadinho na Baixa do Jebe-Jebe, vejo descerrarem-se céus e mares translúcidos e a sublime beleza negra de moças do Ilê Ayê em seu rebolado sensual rumo ao Pelô, enquanto traço um autêntico e celestial bobó de camarão feito por descendentes de núbias mucamas, coisa que não é pro bico de quem mora em São Paulo. Bem feito para ele!
Clique aqui para ver os trabalhos de Carcamo:
http://gcarcamo.blogspot.com/