24 dezembro 2010

O interminável vai e vem do sexo


Gentes de perfulgentes mentes acessam cotidianamente este blog envolvente e quiçá clarividente. Assim versejando - com o auxílio luxuoso do nosso colaborador e vate oficial, Setubardo - nós, deste blog, pretendemos amenizar a necessidade imperiosa que se impõe de lembrar que a internet é um território livre e. assim sendo, este blog é visitado por toda sorte de infonautas, sendo que alguns são pessoas volúveis que se equivocam de forma reprochável e incorrem consuetudinariamente no pecado de afirmar que este espaço bloguístico nada mais é que um arrazoado de parvoíces, necedades, apedeutismos e formidáveis desatinos, sendo ainda um valhacouto de desocupados que passam suas ociosas horas coletando pérolas do besteirol, abobrinhas, non-senses e tonterias sem nenhuma utilidade prática. Mister se faz dar uma categórica resposta a tais torpes que emitem tão leviano juízo a nosso respeito. Provando nossos elevados propósitos vamos publicar doravante os mais recentes estudos sobre a sexualidade humana do renomado sexólogo, o emérito Dr. Príapo Durão - que em matéria de sexo é um grande entendido - em uma série intitulada "U Sexu e os povos du Mundo" ou algo parecido, em que ele revela suas posições. Tais estudos indubitavelmente lançarão luzes sobre seculares trevas que insistem em obnubilar esta fundamental temática. Assim esperamos dar uma resposta definitiva e calar a boca dos céticos e maledicentes que assolam o mundo dos nobres e idealistas como nós deste blog.

17 novembro 2010

Uma poesia de Affonso Manta

Sempre é bom lembrar que a poesia maravilhosa de Castro Alves não é a única bela poesia que se faz nesta afroterra. Há por exemplo um poeta cujos versos sempre me enchem de prazer a cada releitura. Seu nome, Affonso Manta, bardo que nos veio de pequena cidade da hinterlândia baiana. Vejam só que beleza estes versos:
Job
Eu só tenho de meu a noite e o dia
E a tarde quando morre no poente.
Do banquete da vida estou ausente
Frequento as alamedas da agonia.
Eu só tenho de meu o sol e a lua
E o jardim que contemplo da varanda
E as meninas que brincam de ciranda
No silêncio geral da minha rua.

03 novembro 2010

Lage, um cartunista maravilhoso que jamais economizava no humor político


Os números da política econômica relativos ao governo Lula são incontestavelmente muito bons e visivelmente melhores que os de todos os governos anteriores. Ter o FMI como devedor e não mais como credor mostra que a mudança é um fato positivo. Mas eu, como cidadão que procura estar sempre atento e até como por dever de ofício, vez que sou um cartunista, acho por bem indagar uma coisinha simples: sendo tais mudanças visíveis, quem é que de fato as está vendo bem de pertinho, quem as está tocando e delas desfrutando? Bolsas-família à parte, certamente vos digo que não são os indigitados deste país, as gentes das periferias e as suburbanas gentes que continuam estagnados como dantes e ainda muito mal acomodados no fim da fila social sem benefícios nem tratamento digno. Lage, cartunista sempre atento e com aguçada visão política, sacou o lance: como é que os números são tão bons e o povão continua ali no mesmo perrengue? Ele diz isto nesta charge maravilhosa que eu já havia postado antes, mas que curto tanto que posto uma vez mais para ilustrar esta postagem e mostrar como o Lage era retadinho, era preciso e sempre acertava em cheio o alvo visado. Grande charge, grande Lage.

24 outubro 2010

Acrílica cantante

Revi "Gilda" esta semana. Aí me deu uma vontade danada de voltar a pintar cantoras. Comecei por esta, de linhas opulentas, tendo ao fundo um saxofonista e contorcionista.

23 setembro 2010

Grilo sem grilos ( Rubem Grilo, artista maior )

Nunca é demais falar-se de quem tem talento. Já falamos aqui um pouco de Rubem Grilo, artista que está com exposição na Caixa Cultural de Salvador, na rua Carlos Gomes, até o próximo dia 10de Outubro deste ano de 2010. Falemos mais deste cara nascido em Minas que, empunhando objetos pérfuro-cortantes, qual um hábil cirurgião, vai escavando a madeira com gestos seguros e precisos, mestre que é das goivas e de quaisquer nomes que tenham lá os instrumentos que façam os sulcos perfeitos nas referidas madeiras utilizadas no preparo das matrizes que dão origem a gravuras maravilhosas. Felizardo quem for vê-las na mostra da Caixa Econômica, a quem emocionado agradeço a oportunidade. Gonzalo Carcamo já havia me mandado um e-mail alertando-me sobre a excelência de Rubem Grilo e que eu não deveria por nada perder a mostra. Um aval de um artista da qualidade do meu amigo Cárcamo é coisa em que se deve confiar cegamente. Ainda mais porque eu sempre acompanhei e de muito já admirava a obra de Grilo, cujas gravuras maravilhosamente perfeitas e belas estão lá acompanhados de elucidativas matrizes originais. Aí, ao ver uma destas, você certamente perguntará como eu: "Cara, ele entalha a madeira ou outro material que se usa nessa técnica como se estivesse riscando uma prosaica folha de papel com um lápis. Como é que este fio da mãe consegue isto, meu Deus?!"

22 setembro 2010

Lage e Grilo, sem grilhões em suas artes

Quem mora em Salvador ou está em visita à esta terra de Jorge Amado, Pedro Kilkerry, Boca do Inferno e outros poetas, vai conseguir, com uma só tacada, apreciar duas exposições que são pura poesia, mostrando os trabalhos de dois dos maiores talentos gráficos deste patropi, Lage e Rubem Grilo. Para isso basta ir ali na Caixa Cultural, na rua Carlos Gomes, bem pertinho da Praça Castro Alves, que é do povo tanto quanto esta dupla fenomenal. Ambos artistas múltiplos, conscientes, com uma contribuição maravilhosa às artes brasileiras e tendo com seus trabalhos uma participação incontestável na vida social e política deste país, Lage com seus cartuns, até dia 03/10, e Grilo com suas xilogravuras, até 10/10. Tendo atuação de gala na imprensa brasileira na luta pela conscientização popular e contra a ditadura, os dois artistas atravessaram a vida sem se conhecerem pessoalmente. Mas o destino - e a Caixa - os uniu no mesmo espaço e quem quer que faça bom uso da sua massa cinzenta e dos neurônios não vai deixar isso passar batido e rapidinho vai lá conferir e se deliciar.

21 setembro 2010

Caricaturas no stand da Genzyme


Meninas, meninas, esforcem-se para tentar controlar seus irrefreáveis hormônios. O Adonis de boné nesta foto não é o Brad Pitt, não. Sou euzinho mesmo, caricaturando um casal de irmãos que laboram com a medicina. Isto aconteceu no stand da Genzyme do Brasil no Hotel Othon, neste mês de Setembro de 2010, aqui nesta soteropolitana urbe, em um encontro que reuniu a nata da medicina nacional e de alhures. Tudo sob os profissionais cuidados da Uai Brasil Publicidade e da competente equipe por ela enviada sob comando da eficientíssima Mirella. Além de ser um Apolo e um belo exemplar de homem, sou um caricaturista empedernido, contumaz e renitente e lá caricaturei dezenas e dezenas de gentes que aqui vieram com o interesse de aprender, assimilar, permutar experiências e - sobretudo - capacitar-se no intuito de promover um mundo mais saudável em todos os sentidos.

17 setembro 2010

Lage um cartunista bem animadinho


Lage em vida nunca teve um site. Nildão, parceiro e amigo constante, providenciou agora um em homenagem ao amigo, um cartunista porretinha, como ele próprio às vezes dizia sorrindo através da barba hirsuta, iluminando sua aparência enganosamente sizuda. Aí ao lado, em meus sites e blogs preferidos, há um link para se chegar até este site do Lage e se deliciar. Mas Nildão foi além e providenciou que Zé Vieira,cartunista e animador dos bão, animasse um belo cartum da lavra do Lage com a produção luxuosa de Alice Lacerda e do próprio Nildão, o que resultou num trabalho que é imperdível, como se diz nos cadernos Bês da vida hodierna. Aí vai o link, galera: http://www.youtube.com/user/nildaocom?feature=mhum#p/a/u/0/eU8NQt4p500

Lage, cartunista :uma expo massa pra você ver

Poetas, seresteiros, namorados, correi! Fãs do cartum, quadrinhos, ilustrações, tiras, charges, correi, correi! Até o dia 03 de outubro do corrente ano de 2010 uma verdadeira poesia em forma de exposição está ocorrendo no espaço da Caixa Econômica, ali na Rua Carlos Gomes, nesta Soterópolis. É parte da produção gráfica de Lage, um maravilhoso artista do traço, mostrando que sua mente brilhante produziu em forma de charges, cartuns, tiras e o escambau. Que cara, o Lage! Dizer que fomos amigos tão próximos, que muitas vezes dividimos a mesma prancheta faz inflar meu ego já bem dilatado. E o Nildão, gentes, foi buscar na amizade fraterna, na admiração pelo labor e invejável legado artístico daquele que foi em vida um dos mais perfulgentes criadores e realizadores deste orbe imenso. Incansavelmente dedicado, Nildão, sempre agregador, conseguiu fazer com que os amigos e fãs de Lage prestigiassem o evento de abertura, aumentando o poder de reunir gente boa que o próprio Hélio Lage tinha. Nildão, sempre retadinho como ele só, mais ainda fez: criou um site pro Lage, o http://www.heliolage.com.br/ As oficinas e palestras inseridas na programação do evento aconteceram dentro de um clima de alto astral elevadíssimo, certamente garantido pelo próprio Lage, cuja presença positiva é sempre sentida quando amigos se reunem para homenageá-lo, relembrar fatos ou tiradas do velho e bom Hélio Lage, chargista que sempre foi e é disparadamente o melhor entre tantos ótimos chargistas, um verdadeiro primus inter pares, seja lá o que isso queira dizer.

20 julho 2010

Um urubu pousou na minha gávea

"O Flamengo entra em campo com Adriano, Wagner Love e Bruno..."
O Barão de Itararé na certa perguntaria: Isto é escalação de time ou formação de quadrilha?

08 maio 2010

Dadá, Corisco e Zé Umberto

Um dia na porta de um cinema vi o cartaz de um filme com o grande ator Mario Gusmão de quem eu ficara fã ao ver sua fina estampa e sua bela interpretação em O dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro, onde ele - lança em riste - a mando de Glauber investia sobre o personagem de Jofre Soares. Dizia o dito cartaz: Hoje: O anjo negro, de José Umberto Dias. Entrei. Uma sequência extasiante do filme mostrava o Estádio da Fonte Nova em dia de um retumbante Ba-Vi em ruidosa explosão de cores e de alarido popular. Inesquecível. Um outro dia fui conversar com o cineasta Guido Araújo que produzia sua nova Jornada de Cinema. Zé Umberto chegou casualmente no mesmo momento que eu. Conversamos, nos apresentamos e ficamos amigos. Ali mesmo ele me chamou para fazer o story board de um filme seu. E depois para ilustrar seu livro Dadá, falando sobre a musa do cangaço. Baseado neste fez um curta de muito sucesso, Dadá, a musa do cangaço. A antiga cangaceira, então costureira e amada mãe e avó, morava num bairro periférico, era muito amiga de Zé Umberto e fui a ela apresentado. Foi com indisfarçável emoção que apertei a calejada mão sertaneja daquela que fora companheira de Corisco. Embora as pesoas pensem que usei a trabalhosa técnica de xilogravura para as ilustrações, não lancei mão de afiadas goivas nem madeira. O que fiz foi apenas empunhar um lápis e usar guache branco sobre papel preto. Publico aqui para variar um pouco dos trabalhos cheios de cor que costumo mostrar. E também para lembrar de Dadá e de nosso amigo em comum, Zé Umberto, gente pra lá de boa que fala ao coração das pessoas através das lentes e dos celulóides. Saudações sertanejísticas, Dadá de Corisco. E saudações cinéfilas pra você, Zé Umberto, meu amado irmão.

30 março 2010

Pivete

Dando uma bola, cheirando cola, mandando bala. Retrato 3 x 4 da infância brasileira tirada com minha máquina acrílica munida de photoshop.

22 março 2010

Assessoria de Esportes da Rede Globo é de perder a esportiva

O craque Adriano e sua loiraguadíssima ficante, namorante ou seja-lá-o-que-for, resolveram comemorar o Dia Internacional da Mulher com farta distribuição de bolachas e bifas nas suas respectivas fuças. Em defesa da barracante e de seu insígne ficante, surgiu o goleiro Bruno que sapecou umas pérolas verbais que ficarão eternamente marcadas de forma indelével na efeméride citada. Alegando que o entrevero entre o camisa 9 e o furacão demolidor de veículos que é a quase loira, trata-se de coisa normal, uma singela rusga tão comum entre românticos e apaixonados casais, dirigiu-se aos jornalistas presentes arguiu: quem de vocês aqui jamais embolachou as fuças das respectivas namoradas, noivas ou consortes? Assim, assim, com todas as letras, com direito a gravações televisivas e radiofônicas. Qualquer pessoa que tiver dentro de si um leve fragor de consciência humanística repudiará o acontecido ainda mais que o dito Bruno já tem um antecedente dos mais escabrosos quando em um episódio acontecido em Minas Gerais, prostitutas contratadas por ele para em um bucólico sítio prestarem seus préstimos sexuais a diversos jogadores do Fla - entre eles, Marcinho, Diego Tardelli e Paulo Victor - não só prestaram o serviço como depois prestaram queixa em delegacia alegando terem sido agredidas fisicamente. Bem, a coisa ficando por aí já estaria de bom tamanho. Mas o que me choca mais é a atitude de jornalistas da equipe de esportes da Rede Globo que resolveram limpar a barra do troglodítico arqueiro tentando dizer que ele não disse o que disse, não pensou o que disse pensar, que tudo que se ouviu e se viu jamais foi visto ou ouvido, tratando-se de pura histeria coletiva e de uma visível ilusão de ótica dos telespectadores que deveriam, isto sim, tratar de esquecer o episódio e as declarações não teriam sido declaradas para que o referido Bruno possa vir a ocupar a vaga de terceiro goleiro na seleção do Dunga. Da mesma forma que Bruno, a Rede Globo tem escabrosos antecedentes quando se trata de manipular a verdade. Eles próprios acabam reconhecendo e afirmando coisas assim, prenhes de orgulho do poderio que tem ou julgam ter. Num país onde o Q.I. dos habitantes parece ser tão baixo a ponto das pessoas se deixarem enredar por programas estapafúrdios como o Big Brother, o que não vão faltar são os que se deixarão levar por esta escabrosa assessoria de imprensa feita por gente que compõe a equipe de esportes da Rede Globo. Mas os que não se deixam enredar por tais falácias, já sabem: para Adriano, Bruno e para tais gentes, Lei Maria da Penha neles. De goleada!
( P.S. Este texto foi escrito e postado em 22 de março de 2013, bem antes da grande imprensa noticiar amplamente os fatos escabrosos e cheios de requintes de crueldade cometidos por Bruno contra uma indefesa jovem mulher de nome Elisa, namorada do então goleiro titular do Flamengo, com quem tinha um filho ainda bebê. Não tenho esperança quanto o fato de que depois desses nefastos acontecimentos algum dos tais assessores ter mudado seu modo de pensar.)

27 janeiro 2010

Música para se ouvir. Música para se ver.

Música. Ontem, hoje, agora, ainda e sempre. Gravada ou ao vivo. Via rádio AM ou FM, em CD -  original ou pirata-, na trilha sonora de filmes, de novelas, de minisséries televisivas, no coreto da praça, na viola de um cego cantador, no repente de surpreendente repentista, na tuba, no contrabaixo, no alto falante do circo mambembe, na flauta doce ou salgada, no violão, no cavaquinho, no bandolim, no pandeiro, no berimbau, na guitarra, plugged ou unplugged,  em  mesmo em tinta acrílica sobre tela como nesta pintura que fiz com mucho gusto. Música, ah, qualquer música! Samba, rock, baião, xaxado, maxixe, jazz, tango, fado, valsa, corta-jaca, tarantela, blues, bossa-nova, cumbia,  reggae, samba-reggae, samba-rock, bolero-lero-lero-lero, no beguin the beguine. Música. Qualquer música, ah, qualquer, logo que me tire da alma esta incerteza que quer qualquer impossível calma!

23 janeiro 2010

Paichãu nassionau

Outra temática recorrente na minha pintura é o futebol, esta grande passion do povo quase bretão deste país afrolusoíndio. Aproveito para tecer uns conceitos comentando as distorções do nosso verdeeamarelo torrão. Uma vez cartunista, sempre cartunista.

20 janeiro 2010

Zetti e o Salão de Humor de Piracicaba


Visitando o blog do Dálcio Machado deparei com uma caricatura da Zetti feita por ele e a notícia do afastamen-to dela pela coordena-ção do Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Dos Salões que pude visitar, o de Piracicaba foi o mais organizado que vi, com uma aura enorme de carinho para com todos os cartunistas que o visitassem. Eu e todo o pessoal da Bahia que comigo estava, Nildão, Caó e Zé Vieira, fomos muuuuito bem tratados por Zetti & Cia. quando lá estivemos. Zetti sempre contou com nossa admiração pela sua competência em tocar o evento, o que vem fazendo há mais de duas décadas. Espero que o bom senso prevaleça, o pessoal da coordenação aja sem passionalidades, pese bem o que deve ser colocado na balança e traga de volta nossa amada Zetti, garantia de qualidade do Salão de Piracicaba. Pirateei o texto do Dálcio de seu blog e embora me sinta tentado a vendê-lo no mercado negro, vou apenas e tão somente reproduzi-lo para que o pessoal do cartum tome consciência do fato. Embora eu não conheça Dálcio pessoalmente, não posso deixar de dizer o quanto achei nobre e desprendido seu gesto em favor de alguém que faz por merecer o irrestrito apoio geral dos cartunistas. O texto completo vocês podem ver clicando no link: http://dalciomachado.blogspot.com/ Também vale a pena ver mais sobre o mesmo assunto no http://www.brazilcartoon.com/

O texto do Dálcio:

Como a maioria de vocês já sabe, nossa querida amiga Zetti foi afastada da coordenação do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, um dos mais importantes do mundo.A secretária de Cultura, responsável pelo afastamento, não deu maiores explicações para tirar do cargo alguém que luta bravamente há mais de 20 anos pelo sucesso do Salão.O Brazilcartoon, do incansável Márcio Leite, tomou as rédeas de um protesto em favor de nossa amiga, e já conta com uma cacetada de cartuns, caricaturas e textos, inclusive, internacionais. Este texto enviei para ele hoje e também posto aqui. Se quiserem participar, deem um pulo em http://www.brazilcartoon.com/ Gritem bem alto!

12 janeiro 2010

Se eu tivesse coisas que não tenho... / Setubardo 09

Se tivesse um reino eu reinava
se fosse alado eu voava
se tivesse nave, navegava
se tivesse passaporte, embarcava
se pintasse um baby, acalentava
se tivesse certeza, argumentava
se perdesse a fleuma, praguejava
se eu fosse um rio, transbordava
se tivesse um paraquedas me lançava
se tivesse coriza, eu fungava
se passasse BBB, desligava
se eu ganhasse um disco de pagode, quebrava
se avistasse as Torres Gêmeas, eu detonava
se tivesse encontrado Bin Laden, ovacionava
se quisesse mentir, eu jurava
se tivesse unzinho, eu fumava
se ficasse neurastênico, mandava tudo à fava
se caísse moribundo, delirava
se tivesse 2 Reais, apostava
se vivesse em Brasília, me locupletava
se tivesse medo, eu gelava
se eu tivesse você, dia e noite sem parar eu só amava.