25 fevereiro 2017

Versos para um anjo bêbado // Setubardo

 Um anjo bêbado/Que eu nunca vira mais gordo/Me viu num bar da cidade/E na maior intimidade/Botou a mão em meu ombro/ - Que assombro! - /E me pediu um cigarro/ - Bizarro! - /Resolvi colaborar/De malandragem eu manjo/Impossível adivinhar/Quando se pode precisar/Da ajuda de um anjo/Dei um cigarro, dei dois/E fui-me embora, depois/Enquanto ele cantava, nada teen:/"When the saints go marching in..."/Lá no estacionamento/Um novo aborrecimento/Algum pilantra abusado/Levou meu carro rebocado/Mas por sorte encontrei/Pégasus, o cavalo alado/Saltei no dorso do corcel/E falei: "Toca pro céu!"/Ao sair do perímetro/Ele mudou o taxímetro/Botando bandeira dois/É isso aí, minha gente/Já não se fazem alados como antigamente./Na Via Láctea bebi leite-de-cabra/Que não dá ressaca braba/E só pra rebater/Virei uma cachaça crua/Tropecei em Orion/Esbarrei na Nova Lua./Em Alfa de Centauro/Já me sentia um lixo/Meio homem, meio bicho/Sem querer quebrei um copo/Mas saltei e salvei o pires/Pulei sobre um arco-íris/Escorreguei para a Terra/Caí no meio de uma guerra/Um soldado invocado/Me apontou seu fuzil/Foi um puta que o pariu!/Pra tentar me safar toquei um banjo/Foi quando ressurgiu aquele anjo/A quem o cigarro eu dera/Anjos não são pura quimera/Me levou voando a mais de cem/"Ao infinito e além!!"/Logo estava me apresentando/Sua família cativante/Pela irmã do anjo eu pirei/Os quatro pneus arriei/Fiquei doidão, pedi logo pra casar/Hoje moro num Paraíso, ao léu/Vivo com ela no Sétimo Céu/Ando nas nuvens com seus carinhos/Minha mulher é mais que um anjo/Nossa prole, três anjinhos.
(16/03/08)